Projeto de videomonitoramento registra primeiras adesões

Created with Sketch.

Projeto de videomonitoramento registra primeiras adesões

O CIGA realizou uma live na manhã desta quarta-feira (16/02/2022) para explicar como vão funcionar as adesões ao projeto que vai viabilizar a instalação de pontos de videomonitoramento nas cidades catarinenses e tirar dúvidas dos gestores.

Nesta primeira semana dois municípios já formalizaram a adesão. Curitibanos (SC) requisitou a instalação de 280 câmeras, e Araquari (SC) pediu a instalação de outros 200 equipamentos. O projeto inclui ainda o software para exibição e armazenamento das imagens por até 15 dias, postes para instalação e a internet que fará a transmissão das imagens.

A localização das câmeras deve ser definida pela gestão municipal, e pode ser feita em conjunto com órgãos de segurança, como a Polícia Militar ou as guardas municipais, ou de acordo com a necessidade apontada por cada município.

Vídeo de apresentação do projeto

“A prefeitura estuda há algum tempo a ampliação de projetos de videomonitoramento para melhorar a segurança do município. Com o projeto do CIGA será possível viabilizar este projeto com custo baixo e alta qualidade. O projeto contará com a participação da Polícia Militar, com o mapeamento de pontos estratégicos. É um grande avanço para a cidade contar com ferramentas para dar mais segurança e tranquilidade aos cidadãos”, disse Diego Sebem Wordell, secretário de Administração e Finanças de Curitibanos.

O edital para adesão é válido pelos próximos 12 meses ou até o esgotamento das 8.850 câmeras, 4.495 postes, 295 licenças de software (uma licença por projeto, independentemente do número de câmeras) e 8.850 remanejamentos de câmeras, caso seja necessário. O serviço pode ser renovado por até 48 meses, totalizando 4 anos de operação.

“Pensamos muito na questão da segurança, mas nada impede a aplicação em outros segmentos. A solução tem um preço muito competitivo para criarmos um cinturão de segurança em Santa Catarina. Já estamos conversando sobre a implantação de outras fases, que pode incluir reconhecimento de imagens”, destacou o presidente do CIGA, Silvio Alexandre Zancanaro, que também é prefeito de Campos Novos (SC).

Além das câmeras disponíveis para os consorciados também estão disponíveis outras 17.700 câmeras para cidades não consorciadas, que podem utilizar o mesmo projeto com os preços licitados para fazer a adesão.

“Neste modelo de outsourcing as prefeituras vão ter agilidade na implantação e a efetividade do serviço, pois a manutenção ficará a cargo da empresa contratada. Pela nossa previsão e das conversas com os municípios imaginamos que a adesão será rápida”, destacou Gilsoni Lunardi, diretor executivo do Consórcio.

Onde efetuar a adesão

Para fazer a adesão do município ao projeto de videomonitoramento acesse https://consorciociga.gov.br/registrodeprecos/ e navegue até a “Ata de Registro de Preços 01/2022 – Locação de câmaras e equipamentos”.

Perguntas realizadas durante a live

Ricardo Fripp – A prefeitura pode ampliar o sistema futuramente?
Resposta: Sim, até o limite de câmeras do edital. Após o esgotamento não será possível a ampliação.

Rodrigo Nardon – Se o cliente quiser uma gravação por maior tempo? Ou ele mesmo faria o backup destes 15 dias? Resposta: Neste projeto as imagens serão armazenadas por até 15 dias. O backup de imagens antigas pode ser feito pelos usuários. O sistema permite o download dos vídeos.

Robson Back – São utilizados posteamento público, ou são instalados pela própria Khronos? Como funciona a rede de internet aonde ela não chega por fibra ou rádio?
Resposta: Os postes previstos para este projeto são os da própria empresa. Outros postes podem ser analisados para avaliar a viabilidade. A viabilidade de internet por fibra ou rádio é um pré-requisito para a implementação das câmeras.